SOLIDÃO

Willem Haenraets - Google Търсене
                                      Willem Haenraets

SolidãoAproximo-me da noite 
o silêncio abre os seus panos escuros 
e as coisas escorrem 
por óleo frio e espesso 

Esta deveria ser a hora 
em que me recolheria 
como um poente 
no bater do teu peito 
mas a solidão 
entra pelos meus vidros 
e nas suas enlutadas mãos 
solto o meu delírio 


                                                 Willem Haenraets

É então que surges 

com teus passos de menina 
os teus sonhos arrumados 
como duas tranças nas tuas costas 
guiando-me por corredores infinitos 
e regressando aos espelhos 
onde a vida te encarou 

Mas os ruídos da noite 
trazem a sua esponja silenciosa 
e sem luz e sem tinta 
o meu sonho resigna 

Longe 
os homens afundam-se 
com o caju que fermenta 
e a onda da madrugada 
demora-se de encontro mas"
Tema(s): Amor  Solidão    

Mia Couto

8 comentários:

  1. Linda e intensa poesia de Mia Couto! bjs praianos,tuuuuuudo e bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Linda poesía mi amiga que tenga un óptimo día
    Besos

    ResponderExcluir
  3. Amiga, que bela poesia!

    E não poderia deixar de comentar, mais uma vez, sobre seu olhar feminino/delicado/apurado para as imagens que seleciona!
    Belíssimas!!!

    Bjs e linda tarde!

    ResponderExcluir
  4. Olá tia Arlete, passando para desejar uma linda sexta-feira!
    Beijinhos
    Pedrinho

    ResponderExcluir
  5. Bom dia amada Arlete
    Que lindos versos! Palavras intensas de uma solidão dolorida mas encantadoras e belas. Passando para matar as saudades e deixar o meu carinho. Um magnífico final de semana
    Beijinhos com ternura e afeto
    Gracita

    ResponderExcluir
  6. Una entrada bellísima Arlete, letras y pinturas hermosas!
    Te deseo un buen fin de semana, besos!

    http://sombriabelleza.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Arlete, querida, boa noite!

    Que vc tenha um final de semana ma-ra-vi-lho-so!
    Repleto de bençãos, viu?

    Bjs pra vc!

    ResponderExcluir